Letras: A, B, C e D

Termos com a Letra A
  • Abantesma – (pelo latim pop. phantasma). Assombração, fantasma, por extensão. Aparições.
  • Abnormal – termo empregado para substituir o anormal. Fenômeno incomum.
  • Acoplamento psíquico – Ato ou efeito de conexão no processo obsessivo da vontade do obsessor com as do obsidiado ou quem esteja sujeito a ela.
  • Acupuntura – (do latim: acutus – pontudo + punctura – espetada). Tratamento pelo reequilíbrio dos campos energéticos obtido através de toques ou espetadelas de agulhas em pontos críticos do organismo do paciente. Este reequilíbrio é feito pela regularização da diferença de potencial (ddp) orgânico dos referidos campos bioenergéticos.
  • Afania – (do gr. a – não + phanos – ânsia). Medo mórbido de perder a potencialidade sexual, mais comum nos homens. É um problema psíquico que, por vezes, faz com que o fato se concretize.
  • Afecção – (do latim: affectio – perturbação). Mudança doentia ou alteração de estado.
  • Agênere - (do grego: a + génesis). 1. Não gerado. Diz-se daquele que nasceu sem ter sido feto. 2. Conceito dado a Jesus pelos docetistas.
  • Agente – (do latim: agens – que age). Todo e qualquer operador.
  • Agentes estruturadores – São operadores responsáveis pela elaboração das formas universais. Considerando-se que a energia cósmica em expansão, por si só, não pode se alterar, uma nova corrente de físicos idealizou a existência desses agentes, capazes de atuar sobre a mesma, modulando-a e dando-lhe as respectivas formas. Dessa maneira, admite-se que tudo o que exista no Universo seja estruturado por algum agente dito externo, a ele correspondente, e pertencente a outro domínio distinto do energético que forma o Universo material. Neste caso, os operadores seriam os responsáveis pela elaboração de, desde a mais elementar subpartícula até os seres superiores existentes no Universo. Atuando sobre a energia cósmica, amorfa, em expansão, modulariam a mesma, dando-lhe as devidas e correspondentes formas. Dividem-se em: agentes de forma, agentes de vida e agentes anímicos.
  • Agentes estruturadores anímicos – Também ditos espíritos, são capazes de elaborar um corpo e dotar-lhe de vida biológica animal. Incluem-se, em esfera superior, os hominais.
  • Agentes estruturadores de forma – São os que elaboram a dita “vida” mineral e as partículas elementares (química). Sua capacidade, portanto, é restrita às formas.
  • Agentes estruturadores de vida – Não tão elementares quanto os de forma, têm a capacidade de modular a energia cósmica dando às formas um princípio vital, dito biológico. Correspondem aos pscofitófitos, aos psicozoófitos e aos psicovegetativos, correspondentes, respectivamente, aos seres vivos correlatos.
  • Agnóstico – (do gr. a – não + gnóstikos – o que sabe ). Sectário do agnosticismo.
  • Agnosticismo – (de agnóstico + ismo). Posição metodológica que se opõe à metafísica e que só admite as proposições que tenham evidência lógica, dentro da razão.
  • Alavanca parapsíquica – Fenômeno vulgarmente denominado de levitação causada por processos mediúnicos. Consiste em redistribuir o peso do corpo a ser levitado pelos presentes, de forma proporcional à capacidade mediúnica de cada um.
  • Alavanca psíquica – Falsamente conhecida como levitação mental, é o poder de fazer com que os corpos leves rompam a gravidade e sejam erguidos através do comando do pensamento.
  • Alcaeste – (do árabe: alkahst). Nome dado por Paracelso às energias emanadas pelo animal.
  • Alma – (do latim: anima). O Espírito ou parte do Espírito encarnado em um corpo. Espírito que anima o corpo. Princípio vital dos seres zoológicos.
  • Aloscopia – (do gr. allos – outro + skopien – observar). Fenômeno em que o sensitivo ausculta os órgãos internos de uma pessoa. Também dito introscopia.
  • Alquimia – (do árabe: al – a + khmiya – pedra filosofal). Desenvolvimento científico atribuído a Hermes Trimegistro que se destinava à conquista de três metas: transformar a pedra em ouro, dosar o elixir da longa vida e obter a panacéia, remédio para todos os males humanos.
  • Alquimista – (de alquimia). 1. Cientista especialista em alquimia. 2. O químico primitivo ao qual atribuíam poderes de mago.
  • Alucinação – (do latim: hallucinatio – engano, erro). Devaneio, ilusão, desvario psíquico. Pode ser provocada por drogas – mais comuns – ou por atuação espiritual.
  • Amnésia – (do grego: a – não + mnésis – lembrança). Esquecimento total ou parcial da própria personalidade.
  • Amuleto – (do latim: – amuletus). Objeto que o supersticioso porta consigo julgando-o capaz de impedir que aconteça qualquer malefício com ele.
  • Anabiose – (do grego: aná – ausência + bios – vida ? anabiósis – ressurreição). Estado preagônico em que o paciente retorna à vida, com ou sem se lembrar do ocorrido.
  • Anímico – (do latim: anima). Relativo à alma; diz-se do fenômeno que só depende dos dotes inerentes ao encanado e seus poderes ou predicados psíquicos. Podem ser conscientes, quando o sensitivo ou percipiente têm o domínio das ocorrências e inconsciente, em caso contrário.
  • Antimatéria - Ao contrário do que muitos pensam, a antimatéria nada tem que ver com a paranormalidade. Apenas, define as partículas atômicas correspondentes às conhecidas, porém, com sinais contrários. Assim, o elétron tem como antimatéria o pósitron, de igual massa, só que positivo e que gravita na periferia do átomo, provocando a evasão nuclear do elétron num efeito denominado tunelagem. O antipróton é interno ao núcleo, tem carga negativa e é responsável pela formação dos nêutrons, agregando os elétrons com os prótons.
  • Aparição – Nome dado por W. Crookes às materializações de Espíritos visíveis por todos.
  • Aparições estereológicas – Aquela que se pode tocar, apalpar, auscultar, enfim, analisar biofísicamente.
  • Aparições luminosas – São as que queimam o ectoplasma em seu entorno, moldando-se com uma luminosidade capaz de distinguir sua aparência e conformações.
  • Apatia - (do gr. a – privação + pathos – sofrimento). Estado de espírito em que a pessoa se caracteriza pela insensibilidade das coisas, indiferença, indiferença, fraqueza, desleixo, etc.
  • Aporte - (galicismo). Transporte de objetos, independente do meio pelo qual seja feito.
  • Apsiquia - (do grego: a – não + psikê – alma). Ausência de personalidade que vai de um estado simples e passageiro até a demência.
  • Arquétipos – (do gr. arche – superior + typon – tipo) – 1. Conceito de Platão que se refere ao protótipo do que seja real e exista no mundo. 2. Modelo, padrão. 3. Segundo Carl Jung, figura psicológica que representa a idéia ou imagens do pensamento tiradas do inconsciente coletivo.
  • Ascético – (do gr. ascétikós – mortificação). Referente ao ascetismo.
  • Ascetismo – (de ascético). Doutrina da mortificação corpórea como purificação da alma.
  • Assombração – (de sombras). Fenômeno decorrente de casas assombradas. Aparição.
  • Astral – (do gr. astron). Em Teosofia, domínio compreendido entre o espiritual e o material. (v. corpo astral).
  • Astrologia - 1. Arte de predizer as coisas pela leitura da posição dos astros. 2. Estudo relativo às influências que a variação das posições astrais possa influir no destino e no comportamento das pessoas.
  • Atavismo – (do latim: atavus – dos avós). 1.Hereditariedade. Forma genética de herança. 2. Trazido do berço. Tem-se como atávico aquilo que a pessoa adquire por causa dos genes de seus ancestrais. Cyril Burt defendia a tese de que as tendências psíquicas seriam atávicas, baseando-se nas Santas Escrituras que defendem a tese de que o sofrimento é o resgate dos erros dos ancestrais de quem esteja sofrendo.
  • Atoxinia – (de a + toxina + ia). 1.Absorção de venenos em estado paranormal, sem prejuízos para quem o ingira. 2. Fenômeno comum em transes de “terreiro” onde o médium, durante este seu estado, ingere grande quantidade de bebida etílica e, após ele, não apresenta, sequer, vestígios da ingestão.
  • Aura - (do latim: aura – aragem. Sgdo. Virgílio: “o resplendor do ouro”). Emanação de energia dos corpos biológicos. Eqüivale ao efeito corona.
  • Autodomínio – Fenômeno psicológico que sugere o controle sensorial.
  • Autofonia – (do gr. auto – próprio + phonos – som). É o mesmo que voz direta.
  • Automatismo mediúnico – mediunidade em que a ação do participante é inconsciente. Ele é dito motor na psicografia e vocal na psicofonia.
  • Automatismo psicológico – 1. Falta de vontade própria. 2. Estado psíquico que difere de um transe porque , mesmo em estado inconsciente, não há o condicionamento daquele.
  • Automatismo sensorial – É o comando do reflexo com ação de um dos sensores.
  • Autômato – (pref. auto + do gr. maomai – mim). 1. Aquele cujo procedimento é maquinal. 2. Sem raciocínio e sem vontade própria. 3. Diz-se do médium inconsciente.
  • Automnésia – (pref. auto + do gr. mnésis – lembrança). Caso de amnésia criado pelo próprio indivíduo.
  • Autoscopia – Caso particular da aloscopia em que o sensitivo vê o interior de si próprio.
  • Avatar – (no sânscrito: avatára). A encarnação da divindade nas doutrinas orientais. Representa a metamorfose do mundo sob influência brahmânica.
  • Averno – (do latim – avernus). Lago da profundezas da Terra, no geocentrismo, onde habitaria Plutão e para onde são jogadas as almas condenadas a penitências eternas. Concepção que deu origem à idéia do inferno cristão.
  • Avultamento – (de vulto). 1. Criação mental de figuras e imagens que podem ser percebidas por terceiros. 2. Formação inicial de um fantasma.
Termos com a Letra B
  • Baronte – (do italiano). Desencarnado. Nos dá o adjetivo barôntico.
  • Batedor – ( de bater). Espírito que realiza fenômenos de efeitos físicos.
  • Bicorporeidade – Desdobramento psíquico que permite se veja o sensitivo em dois lugares.
  • Big-bang – (do inglês – grande explosão). Teoria da formação do Universo que parte do pressuposto que toda a energia cósmica teria sido inicialmente implodida em um fulcro central até romper seus próprios limites, causando uma explosão, à semelhança dos buracos negros, a partir da qual o universo teria tido início. Hoje em dia não é mais aceita por uma grande parte de Astrofísicos, levando-se em conta que a explosão acarretaria uma expansão anômala, o que, em verdade, não ocorre.
  • Bilocação – (do latim: bi – dois + locatio – local). Presença do sensitivo em dois lugares distintos, a saber, o em que esteja seu corpo e o em que seu duplo espiritual se desdobre, com capacidade de perceber o que esteja aí ocorrendo mesmo sem ser visto.
  • Bilocação preagônica – Desdobramento que ocorre no momento do trespasse que permite que o moribundo se desloque para outro ponto qualquer onde possa ser visto por médiuns, ou não.
  • Bioenergia – Energia orgânica gerada pelo movimento das células ou produzidas pelas reações iônicas dos radicais químicos dissolvidos no humor somático. É o princípio energético da vida material do corpo animal.
  • Bion - (do gr. bios – vida). Quantum vital. Elemento espiritual correspondente à vida material, como forma estruturada pelo mesmo. (Teoria Corpuscular do Espírito de H.G.Andrade)
  • Bioplasma – (do gr. bios – vida + plasma – formação). Forma ou elemento fundamental da formação da vida, sob aspecto germinal e se compõe do citoplasma, do ectoplasma e do protoplasma. Integra toda e qualquer célula orgânica. Não é substância material nem se apresenta sob forma de elemento atômico. Demonstra ser um estado intermediário.
  • Biopsíquico – (do gr. bios – vida  + psikê – alma  + suf.) Relativo ao biopsiquismo.
  • Biopsiquismo – Ciência que estuda a correlação psíquica com o corpo somático.
  • Bola de cristal – Corpo esférico de vidro ou cristal onde o sensitivo ou o médium vê as cenas transcendentais que descreve. É um ponto de referência e concentração para ele.
  • Brahma - (do sânscrito). A Criação. O Poder criador. Representa o Espírito Santo no Trimurti.
  • Buzomancia – (do latim: bucinum – concha + mnathéia – do gr., adivinhação). O mesmo que jogo de búzios. Adivinhação pelas conchas.
Termos com a Letra C
  • Campo - (do latim: campus). Zona de ação de uma fonte produtora de fenômenos.
  • Campo psíquico – Região onde atua a alma.
  • Candomblé – (do iorubá). 1. Festa de terreiro, como a prática de macumba, onde se cultua o mediunismo, tendo ritualística própria. 2. Princípio religioso dos Orixás.
  • Cargas psíquicas – 1. Vibrações mentais ou sentimentais que transmitem ao semelhante reações diversas em função do que pense ou sinta o emissor. 2. Energia quântica das radiações parapsíquicas de uma pessoa.
  • Carma - (do sânscrito: karma). Destino.
  • Cartas Zenner – Baralho de vinte e cinco cartas, com cinco figuras distintas, criado por Karl Zenner para pesquisar estatisticamente o número de acertos de um paranormal.
  • Cartomancia – (do grego: chártes – carta + mantéia – adivinhação). Vulgo leitura de cartas é o fenômeno pelo qual o sensitivo usa o recurso de um baralho geralmente apropriado denominado tarô que serve de referência para que veja o destino das pessoas.
  • Catalepsia – (do gr. katalépsis – surpresa). Caso de letargia conjugada com rigidez muscular.
  • Chácra – (do sânscrito – chakra – disco). Referência ao disco solar, na Índia, os chácras orgânicos são regiões de vórtices de energia onde a alma encarnada atua para se conectar com o corpo somático. Os chácras representam-se  por padmas, ou seja, flores e são em número de sete, a saber: ajg’na –  na testa, entre os olhos; an’ahaata – sob o osso esterno; manipura – região umbilical; muhl’adhara – no cóccix; swands’hstana – entre o pâncreas e o baço; e o vsh’nuda, na parte superior da traquéia.
  • Ciclotimia – (do gr. kyklos – círculo + thumos – estado de espírito). Estado neutórico que se caracteriza pela labilidade do humor. Passa do estado de tristeza para a euforia e vice-versa, com muita facilidade e de uma forma muito intensa.
  • Cinetopsiquia – (do gr. kinétos – movimento + psikê – alma). Transporte de vibrações mentais acopladas a ondas quânticas.
  • Clariaudiência - (do latim: clarus – claro + audio – escuta). Percepção extra-sensorial onde o sensitivo (clariaudiente) capta sons distantes que não lhe chegam aos ouvidos ou os escuta durante desprendimentos.
  • Clarividência – (do latim: clarus – claro + videns – ver). Percepção extra-sensorial que permite o sensitivo (clarividente) ver dentro de recipientes opacos e à distância, cenas cujas imagens não lhe chegam à retina dos olhos.
  • Cognição – (do latim: cognitionem). Faculdade do conhecimento daquilo que a memória não registra. Esses fenômenos são ditos cognitivos. Envolvem a premonição, antes da ocorrência e posmonição, após.
  • Condicionamento – (do latim: conditio, onis – condição + sufixo). Ato reflexo do estímulo que faz um animal ou pessoa praticar certos atos sob determinada circunstância previamente programada em seu subconsciente.
  • Consciência – Faculdade do conhecimento imediato da própria atividade psíquica de cada um. Memória dos atos retidos na lembrança presente.
  • Consciente – (do latim: conscius, entis – sabedor). 1. Órgão psíquico do registro dos fatos que são mantidos na memória. Foi proposto por Sigmund Freud. 2. A memória presente.
  • Corpo astral – Referência que tem conotação com o duplo psíquico da pessoa.
  • Corpo etérico – Para a Teosofia campo envolvente do duplo astral, que se confunde com o perispírito.
  • Corpúsculo – (do latim: corpusculus). Elemento teórico idealizado por Newton a fim de justificar os fenômenos luminosos, negado pelos demais e restaurado por Eistein na concepção do fóton. Na idéia paranormal, representaria a menor forma de formação de energia agregada por um agente estruturador (dito espiritual). A idéia atual de corpúsculo luminoso foi substituída pela do pulso energético óptico. Prevalece, assim, apenas, a concepção paranormal.
  • Corrente - (do latim: currens, entis – o que corre). Ligação de pensamentos e vibrações de um grupo voltado para obter determinado resultado psíquico ou parapsíquico, geralmente efetuada de mãos dadas entre os presentes.
  • Cosmogênese – (do gr. kosmos – universo + gênesis – geração). Teoria da formação do Universo. A religiosa parte da vontade de um Deus supremo, todo poderoso e a astrofísica defendia a hipótese do Big-bang, hoje reformulada pela dos agentes estruturadores, tendo como Agente Supremo um criador absoluto incompatível com a idéia do Deus antropomórfico.
  • Criptestesia – (do gr. kryptós – escondido + aesthesis – sensibilidade). Faculdade do conhecimento de coisas ignoradas pelo percipiente e que lhe chegam através de seus dotes extrasensoriais.
  • Criptestesia pragmática – Nome dado por Charles Richet à psicometria.
  • Criptocosmo – Definição de Richet para o domínio extramaterial.
  • Criptomnésia - (do gr. kryptós – escondido + mnésis – lembrança). Forma oculta de conhecimento do subconsciente.
  • Criptopsiquia – Termo de Boirac para definir os fenômenos produzidos por uma inteligência desconhecida.
  • Criptoscopia – Segundo Tischner, é a parte da metagnomia que estuda fenômenos de clarividência.
  • Cromatoscopia – (do gr. kromatos – coloração + skopien – observação). Sensibilidade de perceber cores em objeto pelo seu contacto.
  • Cronognosia - (do gr. Kronos – deus do tempo + gnosis – conhecimento). Conhecimento temporal de forma oculta.
Termos com a Letra D
  • Dacma – (do sânscrito). Local de exposição dos mortos para serem devorados por abutres. Consiste em uma torre sem teto para que as aves possam pousar no seu interior. Por extensão, local em que os Espíritos vampirizados retiram energia dos cadáveres de animais.
  • Dádiva - (do latim: dativa). Emanação divina que Deus oferece aos homens por Sua obra e graça.
  • Ddp orgânica - Diferença de potencial bioenergético entre dois pontos do organismo. Esta ddp, quando em desequilíbrio, realiza uma série de distúrbios de ordem somática, embora, por vezes, sua causa seja uma perturbação psíquica.
  • Demência – (do latim: dementia – loucura). É perda ou regressão gradativa das funções psíquicas. Erroneamente chamada de loucura. Pode ser causada por uma série de fatores.
  • Demônio - (do grego: daimón). 1. No politeísmo, gênio inspirador das criaturas humanas. 2. No sentido de diabo, define o gênio do mal.
  • Dermometagrafismo - (do gr. derma – pele + meta – além de + graphos – gravura, escrita). Estigmatização paranormal da pele.
  • Desdobramento – Liberação do espírito sem o desencarne; ele vagueia num domínio externo ao material, podendo se projetar em outros lugares. Liberto momentaneamente dos vínculos corpóreos o espírito tem poderes até de visitar o domínio dos desencarnados, dependendo do grau de liberação. Envolve a bilocação e a Ubiquidade.
  • Desencarnação ou desencarne – Trespasse, liberação do Espírito de forma definitiva em relação ao corpo somático. Morte.
  • Desmaterialização – De dupla natureza, é o fenômeno ectoplásmico em que o Espírito dito materializado se desfaz, bem como o processo de desintegração de um corpo material.
  • Desprendimento – É a liberação do Espírito rompendo os vínculos com seu corpo somático ou, deixando-o por uma tênue ligação, que define a “morte clínica aparente”.
  • Determinismo – 1. Doutrina que defende a hipótese de que nada acontece sem que a isso corresponda uma prévia programação. 2. Acontecimento baseado em leis inderrogáveis.
  • Deus – (do latim: deus). Ser Supremo, Agente Estruturador do Universo estabelecendo suas leis de criação. Inconcebível à mente humana, encontra uma série enorme de correntes que o caracterizam sob seus aspectos mais simples de compreensão.
  • Deuses – 1. Seres sobrenaturais simbolizados por Espíritos manifestantes e ou Entidades que tenham determinados poderes. 2. Componentes fantásticos de cortes celestiais definidas pela mitologia.
  • Diabo - (do grego: diábolo). 1. Ser mitológico sobrenatural com poderes malignos. Confunde-se com o conceito de demônio. 2. Entidade espiritual que se apresenta levianamente, de forma perturbativa.
  • Diafaneidade – (de diáfano). Qualidade com a qual as aparições materializadas se apresentam.
  • Diáfano – (do gr. diaphanés – transparente). Diz-se da aparência da roupagem espiritual com que as aparições se mostram.
  • Diapsiquia – (do gr. dia – através + psikê – alma + suf.). 1. Comunicação direta, mental ou psíquica, sem necessidade da expressão oral, independentemente do estado dos comunicantes, isto é, encarnados ou desencarnados. 2. Meio psíquico de comunicação.
  • Dinoísmo – Dupla personalidade.
  • Docetes – Partidários do docetismo.
  • Docetismo – (do gr. dokein – parecer, assemelhar + suf.). Doutrina considerada herética pela Igreja que proliferou no início do Cristianismo, pregando a hipótese de que Jesus, como ser divino, não poderia ter um corpo humano, não teria nascido de parto, não teria sofrido nem morrido. Apenas passou pela vida. Dessa teoria nasceu a idéia do corpo fluídico de Jesus.
  • Dogma – (do gr. dogma ). Fundamento religioso que não se discute. Princípio de fé e crença.
  • Dogmatismo – (de dogma). Linha filosófica a qual admite a crença como princípio doutrinário.
  • Dogmatizador – Pregador de dogmas.
  • Domínio – (do latim: dominium – propriedade). Em ciência, domínio é a região ou o conjunto contido num todo onde seus componentes guardam a mesmas propriedades. Como exemplo, o conjunto de inteiros, na matemática reúne os valores que não sejam fracionários.
  • Domínio de existência – Âmbito no qual determinados fenômenos são definidos. No caso paranormal, existem dois domínios, o dos fenômenos puramente psíquicos e o dos fenômenos parapsíquicos ou espiríticos.
  • Domínio espiritual – O mesmo que Espiritualidade.
  • Domínio material – Dentro do conceito parapsíquico, é o domínio de existência dito dos seres vivos e dos minerais. O mundo ou os mundos habitados.
  • Dotes – (do latim: dote). 1. Predicado ou dom natural que se possui no campo moral, intelectual e físico. 2. No domínio paranormal encontram-se vários dotes de caráter psíquico e de predicados mediúnicos, como os artísticos, etc., sem ter adquirido formação técnica apropriada.
  • Drogadição – Estado sob ação de uso compulsivo de drogas, com dependência.
  • Duende – (espanholismo). Espírito brincalhão, traquinas. No francês o termo é lutin.
  • Dupla vista - Nome dado à clarividência no caso específico da visão de fatos que estejam fora do âmbito do sensitivo.
  • Duplo – (latim: duplum). No desdobramento, o Espírito liberto.
  • Duplo etéreo – Confunde-se com o perispírito. A personalidade íntima de cada um. É também considerado, com muito mais razão, como sendo o acoplamento do perispírito com o campo bioenergético. O mesmo que duplo astral.

Nenhum comentário: